sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Não tenho nenhuma razão em especial, mas apetece-me mandar o mundo à merda!!!!
«Such is the way of the world
You can never know
Just where to put all your faith
And how will it grow»
Eddie Vedder
«They think of me and my wandering, but I'm never what they thought»
Eddie Vedder


Fui acordado hoje para Rousseau, o pintor - boa memória =D. Cool water D., :p



A inspiração, ele, foi buscá-la aqui. A importância para o homem do que vai recebendo desde pequeno é incrivel. O Estado aqui, se quer um povo Maior, é responsável por dar e mostrar e dispôr de mais e melhor. Museus de tudo, oceanários, insectários, estufas e jardins botânicos, jogos de futebol, mais e maior equipamento desportivo, cavalos e música, bastante, chocolate e fruta.






L’État, c’est moi


Fidel ou a personificação do papão para muitos tugas.

Virá o dia em que o homem será suficientemente inteligente para saber usar a ciência e desenhar desde o iníco o destino de cada um. Huxlourorwellfin

Se cada vez mais o Homem consegue apurar a origem de tudo, use-se esse conhecimento para moldar a vida de cada um para um destino melhor. Não estaria a comandar, nem sequer a condicionar, a mão do Estado seria sempre como uma orientação. E então o Estado seria Eu, e Eu, Monarca absoluto comandaria o Povo de acordo com a Sua vontade.

A imagem estava ligada a uma notícia que indicava a descoberta, da zona cerebral responsável no homem pelo grau de envolvimento a uma criança. Leia-se, o instinto de protecção.

E porque o ano é bissexto


Hoje é um dia especial. O dia a mais de Fevereiro que ocorre de quatro em quatro anos para corrigir a discrepância entre os 365 dias do ano de calendário estabelecidos pelo calendário gregoriano e o tempo de translação da Terra em volta do Sol, o ano solar, que é de 365,6 dias.

É o dia especialíssimo para quem nasceu nestes anos, em que pode celebrar o aniversário no dia certo e não a 28 ou a 1 de Março. E lembro-me de um colega de liceu a quem massacrávamos todos os anos normais por querer celebrar o dia de anos de um dia que não existia, contando nós a sua idade apenas pelos anos bissextos.

Na tradição popular acredita-se que é um ano de sorte e que tudo o que for iniciado a 29 de Fevereiro irá correr bem. Mas também sempre ouvi dizer que casar num ano bissexto dá azar. Diz-se que a “voz do povo é a voz de Deus”. A verdade é que se não sei de nada que tenha começado a 29 e tenha obtido êxito, também é verdade que alguns casamentos celebrados nesse dia deram mesmo para o torto.

Porque é ano bissexto, pelo sim pelo não, acho que vou começar qualquer coisa hoje. Ainda não sei o quê, porém.
Belo belo dia de Sol.
Vukcevic e Liedson quase quase prontos para domingo sovarem os encarnados!

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

No country for old men

Para quem se sentir atraído pelo universo dos irmãos Cohen, talvez o filme mais surpreendente seja um dos primeiros - Barton Fink. O porquê, é por ter alterado as coordenadas com que eu via cinema. John Goodman foi um dos actores que renasceu com eles, tornando-se um actor nos antipodas do que a comédia ligeira o associou. Os filmes dos Cohen são da cor do sangue e são objecto de culto, embora sejam habitués em Cannes, a surpresa do mainstream os ter premiado.
No country for old men estreia hoje.

Quando certas pessoas largam o álcool ou as drogas ficam uns chatos do pior. Amanhã vou ver o Palma ao ccb, seja o que ele quiser... se estiver sóbrio, bazo para ver o Persépolis!

Pedro e o Lobo

Porque continuo a considerar que não há forma melhor e mais bonita de entrar no universo da música: Sábado na Gulbenkian o conto de fadas sinfónico (a classificação é de Prokofiev) Peter and the Wolf.

“Esta é a história de Pedro e o Lobo, cada personagem deste conto será interpretada por um instrumento distinto da orquestra, por exemplo o pássaro pela flauta, o pato pelo oboé, o gato pelo clarinete, o avó pelo fagote, o som dos disparos dos caçadores pelos tambores, o lobo pelas trompas e o Pedro pelos violinos...”.

...e porque não todos os sábados, faça-se petição on-line!
p.s. A edição de Peter and the Wolf (em inglês porque é mais raro encontrar em tuga que petróleo em Viana) é escassa.

No meio dos tão celebrados oscares, hoje não vou além da mera curiosidade, não vibrar nem sequer valorizar. Desde que a previsibilidade, o politicamente correcto, o mau sobre o bom, etc etc primam nos critérios, que a grande festa do cinema zerou.

Até que descobrimos coisas boas - Serendipity! O vencedor deste ano, na categoria de curta-metragem de animação, é um retrato negro do belo Pedro e o Lobo, música original de Sergei Prokofiev numa gravação exclusiva para o filme pela Filarmónica de Londres. Co-produção Brit+Polónia.
Se o encontrarem por acaso numa qualquer feira, lembrem-se do insecto!

Peregrinação à ValorSul

«Onze toneladas de droga vão hoje a queimar na Valorsul
A Polícia Judiciária (PJ) informou que vão ser queimadas esta manhã 11 toneladas e meia de droga nas instalações da Valorsul, em São João da Talha (Loures).
Durante a operação, serão destruídos 14,495 quilos de heroína, 96,194 quilos de liamba, 196,781 quilos de cocaína e 11.400 quilos de haxixe, apreendidos em acções de combate ao tráfico de estupefacientes.» in Diário Digital

Je sais

video

Nice and quiet

Strange love
(Koop)

1-0

Sofrimento
Muito bom

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Repto

Paulo SJ,
Já pensaste sobre a questão da Eutanásia?

Tesourinhos por e-mail, via João

Em pleno Verão , uma caravana do governo seguia pelo interior do Portugal, em vários carros.
Lá pelas tantas, começam a ter sede e o primeiro -ministro manda parar junto à primeira casa no caminho para beber um pouco de água.
A dona do casebre, hospitaleira como todo o português, grita para o menino de uns 9 anos que estava sentado na porta:
- Sócrates! Vem cá depressa! Traz a jarra da água e os copos!
O primeiro - ministro, todo vaidoso, pergunta:
- Eu ouvi que a senhora chamou Sócrates ao garoto. Ele tem esse nome em homenagem a alguém?
E ela, sem nunca imaginar quem era o em pessoa que estava ali, responde:
- Não. Na verdade o nome dele é António, mas ultimamente deu-lhe para mentir tanto e fazer tanta merda, que nós lhe chamamos assim.
«I love the smell of napalm in the morning...smells like...victory.»
Apocalypse Now
«Love means never having to say you're sorry.»
«I wish I knew how to quit you.»

Sol ao amanhecer com o Papagueno e a Papaguena a vibrar, alto. Depois - queria cantar - pus Jonhy Nash, não o que sei de cor, mas outro - enganei-me - um que diz I hurt myself today to see if I still feel, verso a lembrar-me o intervalo (a haver) entre o torpor esquizofrénico e a eutanásia.
Para ouvir no carro, o épico músical dos The Smashing Pumpkins, feito maior da década de 90, albúm conceptualmente perfeito, dividido em dois livros from dawn to dusk e Twilight to Starlight. Poesia a jorrar por todo o lado, desenhos do book entre o imaginário brit dos contos de fadas do início do século e o traço agreste da Paula Rego, o sol e a lua gravados a encarnado e a azul nos dois discos, e mais... muita e excelente música, o rock sinfónico, progressivo e apocaliptico do Billy Corgan e cia. Foi uma excelente colheita esta e até ao momento dos títulos mais bonitos alguma vez dados Mellon Collie and the Infinite Sadness.

Excelente campanha de prevenção roodoviária, mais um tesourinho via e-mail














Adriana Molder - The Passanger

Tesourinhos por e-mail, via Rititi

«Alevantar: O acto de levantar com convicção, com o ar de 'a mim ninguém me come por parvo!... alevantei-me e fui-me embora!'.

Aspergic: Medicamento português que mistura Aspegic com Aspirina.

Assentar:O acto de sentar, só que com muita força, como fosse um tijolo a cair no cimento.

Capom: Porta de motor de carros que quando se fecha faz POM!

Destrocar: Trocar várias vezes a mesma nota até ficarmos com a mesma.

Disvorciada: Mulher que se diz por aí que se vai divorciar.

É assim: Talvez a maior evolução da língua portuguesa. Termo que não quer dizer nada e não serve para nada. Deve ser colocado no início de qualquer frase. Muito utilizado por jornalistas e intelectuais.»

Entropeçar: Tropeçar duas vezes seguidas.

Êros: Moeda alternativa ao Euro, adoptada por alguns portugueses.

Falastes, dissestes: Articulação na 4ª pessoa do singular. Ex.: eu falei, tu falaste, ele falou, TU FALASTES.

Fracturação: O resultado da soma do consumo de clientes em qualquer casa comercial. Casa que não fractura... não predura.

Inclusiver: Forma de expressar que percebemos de um assunto. E digo mais: eu inclusiver acho esta palavra muita gira.
Também existe a variante "Inclusivel".

Mô: A forma mais prática de articular a palavra MEU e dar um ar afro à língua portuguesa, como 'bué' ou 'maning'. Ex.: Atão mô, tudo bem?

Nha: Assim como Mô, é a forma mais prática de articular a palavra MINHA. Para quê perder tempo, não é? Fica sempre bem dizer 'Nha Mãe' e é uma poupança extraordinária.

Númaro: Já está na Assembleia da República uma proposta de lei para se deixar de utilizar a palavra NÚMERO, a qual está em claro desuso. Por mim, acho um bom númaro!

Parteleira:Local ideal para guardar os livros de Protuguês do tempo da escola.

Perssunal: O contrário de amador. Muito utilizado por jogadores de futebol. Ex.: 'Sou perssunal de futebol'. Dica: deve ser articulada de forma rápida.

Pitaxio: Aperitivo da classe do 'mindoím'.

Prontus: Usar o mais possível. É só dar vontade e podemos sempre soltar um 'prontus'! Fica sempre bem.

Prutugal: País ao lado da Espanha. Não é a Francia.

Quaise: Também é uma palavra muito apreciada pelos nosso pseudo-intelectuais. Ainda não percebi muito bem o quer dizer, mas o problema deve ser meu.

Stander: Local de venda. A forma mais famosa é, sem dúvida, o 'stander' de automóveis.
O "stander" é um dos grandes clássicos do "português da cromagem".

Tipo:Juntamente com o 'É assim', faz parte das grandes evoluções da língua portuguesa. Também sem querer dizer nada, e não servindo para nada, pode ser usado quando se quiser, porque nunca está errado, nem certo. É assim... tipo, tás a ver?

Treuze: Palavras para quê? Todos nós conhecemos o númaro treuze.

Great Music

Julho é O mês. Radiohead dia 8, os Kings of Convenience dia 22 na Casa da Música e os Beirut a 27.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Há amores assim


Há amores assim
Donna Maria

Sounds of nature


Descobri uma nova maravilha ouvir Sounds of Nature enquanto se trabalha. Fantástico e muito agradável e um bocado freak assumo.

Elas e eles

Hoje durante o meu almoço tive o privilégio de ficar sentado entre dois grupos completamente diferentes. Do meu lado esquerdo um grupo de três raparigas que não tinham mais de 18 anos, já muito senhoras, mas ainda com traços de meninas, se bem que com muita vontade de ser mulher. Do meu lado direito um grupo de cinco rapazes, da mesma idade que as meninas, com voz já grossa, se bem que de vez em quando se soltava um grito infantil e igualmente bastante homens ou a querem fazer parecer que já o eram.

Ambas as conversas eram sobre o mesmo assunto. Para elas eram os rapazes, para eles eram as raparigas. E foi hilariante ouvir ambas as conversas.

Elas falavam do quanto gostavam de ter namorado, que tinha de ter olhos azuis, ser carinhoso, dar muitos beijinhos, bem cheiroso, que tivesse dinheiro, claro. No essencial elas queriam um príncipe que tomasse conta delas.
Eles, que acompanhavam a conversa com cerveja e cigarros, falavam das suas conquistas amorosas do fim-de-semana, das suas proezas sexuais, do peito da Mariana e do rabo da Madalena. No essencial queriam uma gaja, não uma namorada.

Depois de os ouvir fiquei com pena de ambos os grupos porque o futuro lhes dirá que estão enganados nas suas pretensões e o que ambos querem, pelo menos a forma daqueles desejos, nunca os terão. Mas isso o tempo e o crescer os ensinará que não será assim. O tempo os ensinará que elas são mais complicadas e menos disponíveis do que eles desejariam e que eles mais simples e básicos nos seus desejos e quereres do que elas pensam.
Agora, uma coisa é verdade, eles são muito mais divertidos!!!!!!!

Ontem no Coliseu

50 anos de carreira de Simone de Oliveira

O Tempo passa mais rápido quando estamos sozinhos. De repente quase 1 ano. Cada dia casado é uma prova de Esforço.
Talvez a ideia de eternidade venha de partilhar a nossa vida com alguém.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Afinal não era bem o que pensava

Com a capa de hoje, 25 de Fevereiro de 2008, do Correio de Manhã fiquei cheio de esperança. Com o título «Casa Pia denuncia abuso sobre aluna» e reparem bem alunA, achei finalmente que estávamos perante um caso de violação de crianças do sexo feminino, afinal os pedófilos que abusaram das crianças da Casa Pia não abusaram apenas de crianças do sexo masculino.

Mas lida a noticia chego à conclusão que afinal não era bem essa a noticia. Estamos, antes, perante um caso em que a instituição Casa Pia denunciava uma situação de abuso sexual de um padrasto sobre uma aluna da instituição.

Felizmente que mais uma criança vitima de abuso sexual vê o abusador a braços com a Justiça, precipitei-me de facto com a notícia.
Mas já agora onde andam as meninas da Casa Pia que foram violadas ou não as há de todo ou os violares só gostavam de meninos? É, no mínimo estranho, esta situação...O pavoroso mundo dos abusos sexuais na Casa Pia de que nunca saberemos como, quem, onde e porquê.
Oficial, estou com a maior neura do ano. Fds com surf exigente no Guincho, ondas grandes e a rebentar em cima do calhau, mas com espaço para tudo. 5 - 6 surfers dentro de água e um deles perdido, tudo porque não houve uma avaliação de como a onda estava a rebentar. Estar no line-up, ver a onda agigantar e formar uma boca que tudo engole, arrepia e faz-nos ficar para trás. O medo vence-se com o conhecimento. O conhecimento nunca chegou. Ver-nos sucumbir onde antes triunfámos, explica-se como? Não é capacidade, não é técnica, não é sequer medo, é o método falhar e com ele todo o edificio da segurança.
O Sporting sucumbiu ontem perante o Vitória de Setubal. Porque nos anularam mal um golo, porque os sadinos marcaram e fecharam o jogo, porque estava a ser difícil penetrar na grande área, porque principalmente o Sporting estava sem confiança em si mesmo, quando havia espaço para rematar, preferiam a solução fácil de passar a bola a outro para resolver o jogo. O Sporting pressionou e foi mais forte mas nunca conseguiu o golo.
A terceira vez esta época que se defrontam, segunda derrota, um empate, e ainda falta a Final da Taça Liga e um provável encontro na Taça de Portugal.
«I read somewhere how important it is in life not necessarily to be strong but to feel strong. To measure yourself at least once, to find yourself at least once in the most ancient of human conditions. That’s the way it is where…»
Christopher Mccandless

A noite toda

Esta noite foi assim:
Tu dormes
Ele dorme
Vós dormis
Eu acordado
É curioso que Cuba, um país do caribe, mexa tanto com os tugas. Se fosse pelo Sonho, pela ligação galega de Fidel Castro, pelo mojitos, os gelados da Copélia, o Havana Social Clube ou a ligação de Eça à ilha, eu compreendia. Se fosse por combater o regime tentando ajudar os cubanos, eu compreendia. Mas não é. Trata-se apenas dos chavões do costume. É certo que nada mudou, quem o esperava vive num momento ainda mais utópico que Fidel.

O mais grave é o Caribe preocupar e os Balcãs mesmo aqui ao lado parecer terem sido abafados por uma qualquer contra-informação. Ninguém ouviu falar. A Russia, a UE, a Nato, os EUA, a Sérvia... um vulcão em actividade e o tuga preocupa-se com o que não vai acontecer.

And the Oscar goes to...


Melhor filme: «No country for old man» - Joel e Ethan Coen
Melhor realizador: Joel Coen e Ethan Coen («No country for old man»)
.
Melhor actor: Daniel Day-Lewis («There will be blood»).
Melhor actor secundário: Javier Bardem («No country for old man»).
Melhor actriz: Marion Cotillard («La Vie en Rose»).
Melhor actriz secundária: Tilda Swinton («Michael Clayton»).
.
Melhor filme de animação: «Ratatouille» (Disney).
Melhor filme estrangeiro: «The counterfeiters» - Stefan Ruzowitzky (Áustria).
.
Melhor banda sonora original: Dario Marianelli («Atonement»).
.
(Não sou crítico de cinema nem tenho visto, ultimamente, tantos filmes quanto gostaria. Não posso opinar sobre os vencedores porque não os conheço mas fico triste por "Atonement" não ter sido destacado a nível da fotografia. De resto, são uns Oscars muito europeus: um irlandês, uma francesa e um espanhol "limparam" os prémios de representação. Nova vida para os actores do lado de cá do Atlântico?)

A grande surpresa do fim-de-semana

Confirmação oficial: Raul Castro sucede ao irmão Fidel na presidência de Cuba.
Resta saber para quando uma revolução em Cuba. Para quando teremos, em Cuba, um regime democrática e respeitador dos direitos fundamentais.
Teremos de aguardar e espero que sem grandes banhos de sangue...

Desabafo(s) II...




[Baixar defesas de Heliz, in: olhares.com]


Vi este post no Arte da Fuga. Tem-me andado no pensamento. Não vi o filme, mas tenho de o fazer. Já li a sinopse e interessou-me bastante…

Mas, restringindo-me ao excerto que o AMN lá colocou...

…é forte, bastante forte. A imagem que me ocorreu, tendo em conta o título da canção e a própria canção, foi mesmo a de Jesus a chorar sobre Jerusalém (Cf. Lc 19, 41 - ss). Claro que posso aplicar a várias situações, não apenas às de conflito. No entanto, tenho cada vez mais a sensação de andarmos a brincar uns com os outros, como peças de uma engrenagem que vacila… Não percebo muito de política, uma das minha lacunas, mas de facto é notório o quanto o sentido de autoridade com responsabilidade passa rapidamente para um autoritarismo sem sentido… Pergunto(-me): Para quê? E em nome de quê?

Há dias que me apetece chorar… Outros, em que choro mesmo. Tanto que me tenho sentido cansado de receber a imensa informação filosófica [tão certeira com o que se passa nos dias de hoje] que por vezes é difícil de digerir. Posso resolver rapidamente, dizendo que os problemas não são meus. Mas será que não são? É certo, directamente não são! Mas, sinceramente, como homem consciente e alguém que tenta ser cada vez mais cristão, não consigo deixar de ficar entristecido com o que nos rodeia. É verdade que não sou pessimista, até sou uma pessoa de esperança. Agora, não consigo desligar em relação ao mundo…

Estou farto de discursos de “lançar poeira para os olhos”, como se tudo estivesse excelente, quando basta sair à rua, ler jornais, ver televisão, para confirmar que bem não está… São cada vez mais os grandes pensadores que afirmam que vivemos numa realidade social complexa e desconcertante, havendo uma desarmonia cada vez maior entre o ser e o estar. Não sou apocalíptico, no entanto tenho mesmo a sensação de que está na altura de parar e pensar seriamente sobre o que se passa à nossa volta.

Uma coisa é certa, quando cada um quer absorver todo o poder para si, continuaremos a ter muitos momentos como o excerto do Free Zone



Into the wild

As pequenas histórias são fracas, talvez por serem reais. Não há uma mulher que todos os dias atropele um alce. O melhor do filme é o percurso solitário e a ideia da fuga para a liberdade, pelo regresso ao estado selvagem. Só por isto é difícil não gostar do filme.

O actor que interpreta o Supertramp chega a ter uma actuação infantil. É um personagem para o River Pnoenix.

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Tesourinhos por e-mail


Religião e Sexo, alguns apontamentos...





[
seda de Bruno Moniz, in: olhares.com]

Há dias… Aliás… Há bastante tempo atrás, o Pedro e eu estávamos de conversa… Comentava que os meus melhores textos surgem porque sou desafiado ou “picado”. Normalmente sobre algum assunto que me interessa e que tenha algum conhecimento na matéria para poder opinar convenientemente e não, simplesmente, porque sim… Então, com o desenrolar da conversa e meio a brincar meio a sério, pediu-me para escrever sobre Religião e Sexo [propositadamente em maiúsculas] …

Em mim não ficou esquecido, fiquei a pensar… Mesmo que estejamos em épocas do tudo para ontem, gosto de pensar com muita calma. Além do mais não tenho “objectivos” para cumprir até ao fim do mês. De facto, é um tema muito em berra, mais do que até eu possa pensar. Daí resolver “ir para a rua” e escutar…

… e nem de propósito, sobre estas questões, ontem fui ver o Scope, a última coreografia de Rui Horta. De facto, uma crítica à sociedade que vê o corpo como “carne para canhão", num aproveitamento sexual, quer do homem, quer da mulher. Aliado a esse aproveitamento, surgem outros inevitáveis, o das emoções e dos sentimentos. Quando entrei no espectáculo [interactivo com o público], tive a nítida sensação de ir directo ao meu pensamento… Corpo, relação, actualidade, filosofia, interacção, Relação, sociedade, amor, gritos, desejos, carne, vida, animalidade e humanidade, produto(s), sedução, Vida... Ser Humano!

Bem, Sexo é bom, muito bom! É capaz de haver quem não goste no amplo universo de pessoas. Mas, de uma forma geral, tendo em conta o quanto o tema é explorado nas mais variadas áreas, é algo desejado, apetecível e com muita vontade de ter... Pois, ter! Ou então, para suavizar usa-se o “fazer amor”, para distinguir da mera relação carnal. Nada de novo até aqui [pelo menos para os que não são virgens]…

No entanto, vou tendo a sensação de que na actualidade desceu-se o pensamento para a zona da cintura. Vivo essa experiência quando comento que fiz Votos. Lá vêm as eternas questões: “o casamento dos padres”, “a igreja como castradora”, “a autoridade vigente na cama de cada um”. Confesso, por vezes já nem tenho muita paciência, sobretudo no que toca ao esclarecimentos sobre a questão da castidade, mas só pelo simples facto do tema ser logo abordado e, por vezes, de forma tão veemente torna-se evidente que é algo bastante central… Mesmo que se diga que não…

Daí, entre várias razões, também como religioso, sentir a necessidade de me dedicar ao estudo mais a fundo do Corpo. Um dos meus últimos trabalhos de investigação foi sobre as dimensões da relação e da corporeidade no Ser Humano. Dei-lhe o título: Ser Humano: Ser Corpo em Relação. Será que nos conhecemos enquanto Corpo? E será que conhecemos a fundo a nossa dimensão corporal? E como é que vivemos a nossa relação uns com os outros?

E a Religião? Que tem com isto tudo? A meu ver bastante, para não dizer tudo! A Religião não é o afastamento do humano na transcendência, ou então, o simples respeitar de normas que vêm do alto. Cada um de nós está “re-ligado” a uma variedade imensa de situações e acontecimentos. No fundo, pensar a pessoa integrada e relacionada com o todo que é, nas suas várias dimensões: biológica, psicológica, sociológica, histórica e até mesmo religiosa.

Sinceramente, vejo cada vez menos separações nestas várias dimensões. Pelo facto de trabalhar o corpo nalguns dos seus aspectos – por exemplo, no filosófico, no artístico e no espiritual – percebo a importância que tem a vivência da nossa realidade pessoal no caminho de uma maior verdade. Na actualidade, com tantas possibilidades de desencontro, a pessoa deve chegar à individualidade de si própria, de modo a não ficar nem isolada, nem diluída na sociedade, curiosamente, bastante corporal.

O culto do corpo de modo a imitar esta ou aquela pessoa mais conhecida leva a que se queira tornear muitas vezes a imagem que a própria pessoa tem de si. A imposição de parâmetros que a sociedade vai colocando obriga a um desfasamento corporal muito grande, por vezes até impossível de alcançar. Ouvindo por vezes esta afirmação: “O meu corpo [como se fosse algo material] não faz parte de mim”, fico a pensar como andará o entendimento do que significa passar por um reconhecimento de quem se é.

Penso na sociedade actual, na qual, em cada vez mais situações, devido à competitividade atroz, a pessoa ou se assume como a única e tenta eliminar quem lhe faça frente, ou então se vai anulando, perdendo muitas vezes o sentido para a vida. De facto, cada sujeito é único, não podendo ser comparado enquanto ser com outro, mas é na relação que poderá encontrar o equilíbrio da reciprocidade.

É notório o desequilíbrio a vários níveis que vivemos socialmente. A superficialidade com que nos deparamos não leva ao fundo, às bases, aos fundamentos, da nossa realidade, quer pessoal quer social. Como resultado as relações humanas tornam-se também elas superficiais, ao ponto do sexo ser algo adquirido. Toma lá, dá cá. O prazer torna-se efémero e imediato, numa mera satisfação da libido. Em que o Corpo, afinal, se torna um mero instrumento de prazer… Como vejo o ser humano como sagrado, tê-lo como objecto, seja ele de que tipo for, é algo que me faz alguma confusão. Daí perceber que, mais do que rotular seja quem for, ou o que for, é necessário olhar e encarar com seriedade sobre estas dimensões tão básicas da realidade humana…

Com tudo isto, devo dizer que não defendo a anulação do sexo, muito pelo contrário. A minha decisão de ter feito o Voto de castidade, como digo, está ligada com a minha vocação. Não me sinto, nem pouco mais ou menos castrado. No entanto, isto não me leva a pensar no sexo como mau, isso seria de todo incoerente com o meu pensamento. Como acima afirmei, sexo é bom. Agora, que seja algo que contribua para a profundidade da relação entre duas pessoas. No fundo, não ser a porta de entrada da relação ou de um aproveitamento, mas em cada momento de encontro ser, mais do que genital, um clímax sexual, por envolver a totalidade das pessoas em relação. Se assim for, o sexo vivido como a unificação por Amor entre duas pessoas, não tenho dúvidas, é religioso.


Segundo esta coisa quando pus uma fotografia de cabelo comprido encontraram-me 75% semelhante com o sr. 24h Kiefer Sutherland. Quando pus uma com cabelo rapado, fui ter a um com bastante mais piada, o melhor futebolista da FIFA do ano 2006 e campeão mundial, il signor Fabio Cannavaro. Aí fico eu, bem 78% e 7 meses mais novo de eu :).
Bom mesmo é ver que coincide a devoção aos Sigur Rós.

Praia do Guincho 2008/02/24 04:24:19 AM


Acordamos com o telf e o vamos surfar, prepara-se a bagagem e saímos. Chuva diluviana e o mar mantém-se surpreendentemente calmo, acordado apenas pelo swell e pelo vento forte off-shore, vem de terra, provoca um leque de espuma quando a onda rebenta, uma força absurda que funciona como um travão no take-off. Praia pequena, praia grande, adraga e voltar ao guincho. A tarde passada a surfar e no final, já ao entardecer, alguém comenta passámos o dia inteiro nisto.



Mais do que isso, se chegamos a casa, devoramos o frigorifico e depois apagamos, isto é um emprego e devia ser pago!

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Dá-lhe Saca!


Estamos sobre o signo de Aquário e é sobre este signo que o Surf português atinge um dos seus pontos mais altos, o Saca vai competir no WCT, onde pára a elite mundial do Surf. É bom entrar nesta página e ver por lá o nome Tiago Pires. Começa já amanhã (ou hoje à noite por cá) down under, na gold coast australiana! Hoje há uma comunidade sintonizada aqui!

Equipa Fantástica


Golo ao minuto e meio de jogo, 5-0 soma das duas mãos... estamos nos oitavos, sem apertos no coração, a famosa tranquilidade do Paulo Bento. Agora venha o Bolton - preferia o Atlético de Madrid, aí garantia a presença nos estádios - o Bolton é uma equipa de uma cidade da região metropolitana de Manchester, será qualquer coisa como um Estrela da Amadora, estão no 15º lugar da Premier League. A ver se lhes damos uma sova também, se jogarmos com a mesma garra, estão no papo!

No próximo Domingo, não se pode mesmo perder



MAYRA ANDRADE
Teatro Municipal de São Luiz
21h30

A nação encarnada ali da segunda circular, sempre que há jogos deve ficar com o coração na mão! Até eu que sou Leão fico à beira da crise cardiaca. É histórico o conseguirem virar o resultado no último minuto, como o conseguem? - não sei! - mas podiam passar-nos a poção mágica! Estão de parabéns, mesmo com os mafiosi todos que ocupam a direcção.
O Braga... Em 2006/ 2007 tive a sorte de os acompanhar, incluindo a viagem a Parma, vendo a equipa sucumbir na UEFA apenas perante um adversário claramente imbatível. Este ano estão longe de mostrar a glória Augusta do ano passado, falta-lhes o João Pinto? o Luís Filipe que só faz porcaria no SLB? a garra do Jorge Costa ao comando? falta-lhes qualquer coisa...
O Braga é tb um case study de falta de ligação do Estádio/ Equipa à cidade. Têm uma equipa fortíssima e hoje um seguro 4º lugar, têm dos estádios mais bonitos da Europa quiça de Portugal, têm vitórias e UEFA, não têm público.

É histórica a rivalidade entre o Braga e o Guimarães, das mais sangrentas também, neste momento o presidente tenta espicaçar a cidade, dando o exemplo do Vitória ... a ver se acorda aquelas almas.

Não aguento

Não consigo, não aguento com gente que começa cada frase que diz com "Eu..." ou "Porque eu...". Não há paciência, nem pachorra.
Se têm problemas de identidade ou de afirmação fiquem em casa. O mundo é bem maior que os próprios.
Não aguento este tipo de gente e parece que é uma espécie que anda em crescimento. Horrível.

E porque é sexta-feira...


Bom feeling
(Sara Tavares)

"Ca'amba, rapazes, já não p'ecisamos dos gauleses par'a nos cob'i'mos de ridículo" - Baba, o pirata dos livros do Astérix


"Se querem que saia terão de tirar-me à bomba" ou "independentemente de o PSD ser só um, este meu PSD não tem nada a ver com isso" (Luis Filipe Meneses).

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Heróis do Mar 4

Maputo
Sala de Plenário da Assembleia da República

Promiscuidade



A recente condenação do PSD e da Somague, por financiamento ilegal, vem demonstrar com clareza meridiana a promiscuidade entre os partidos e as empresas, a que nem a última lei do financiamento partidário, mais restritiva, conseguiu por cobro. Creio, aliás, que quanto mais restritivas forem as leis, pior, porque tem sido evidente que os partidos, reflectindo aliás uma característica da sociedade portuguesa, vivem acima das suas possibilidades e a subvenção estatal é insuficiente para cobrir as despesas exageradas com os aparelhos, no seu dia a dia, e com campanhas eleitorais e outras acções políticas e arranjam mais ou menos sofisticadas “engenharias financeiras” para fugir à lei.
O PSD foi o primeiro a ser sancionado, mas casos semelhantes se têm passado com outros, como o financiamento do CDS por pequenos depósitos de donativos sob identidades suspeitíssimas (o tal Jacinto não só é suspeito como ordinário) ou o presumivelmente fraudulento financiamento do PS em Felgueiras, agora em julgamento ou… milhentos outros que fizeram história e caíram ou escaparam nas malhas da Justiça, da esquerda à direita.
Para além da ilegalidade e da imoralidade, o que deveria preocupar é o que esta promiscuidade representa para a democracia e para a independência dos partidos face ao poder económico. Ninguém acredita que as empresas que generosamente dão dinheiro aos partidos o façam de forma isenta. Esperam contrapartidas quando esses partidos chegarem ao poder ou quando defenderem determinadas soluções legislativas ou decisões camarárias que lhes interessam. O dinheiro, é assim, não tem pátria nem ética.
Agora os partidos deveriam nortear-se por valores éticos e terem consciência de que servem em última instância o País e os eleitores, que não são empresários nem possuem outra arma que não o seu voto.
Ou o sistema democrático e os partidos se reformam, de alto a baixo, quanto antes ou, com ou sem ameaças mais ou menos risíveis de “pronunciamento militar”, a democracia pode ser cada vez menos uma ideia importante para os portugueses e, pelo crescente absentismo, que já se vai verificando, um sistema prescindível.

PSD e a Somague

O PSD vai realizar uma auditoria, por decisão do seu Secretário-Geral, Ribau Esteves, às contas do partido, desde o ano de 2001. Tudo isto depois de o Tribunal Constitucional ter condenado o partido a pagar uma coima de 35 mil euros por ter recebido ilegalmente da construtora Somague um donativo indirecto de 233.415 euros, valor que terá que entregar ao Estado.
Parece que esta auditoria vai ser feita por uma entidade credível, independente e externa ao partido. Não sei porquê mas sempre desconfiei destas entidades credíveis, independentes e externas. Vamos ver no que vai dar, se de facto der nalguma coisa.

Tesourinhos por e-mail, este via João



Hoje é dia de UEFA e de tirar a tv do armário.

Às 20:00 no canal 3.
«I know someday you'll have a beautiful life, I know you'll be a star
In somebody else's sky, but why, why, why
Can't it be, can't it be mine»
in Black, Pearl Jam

Heróis do Mar 3

Hall da Escola Secundária Josina Machel
Maputo

Tudo se resume ao equilibrio entre o Sonho e a Razão.

Permite-se ligeira interferência da metafisica no campo do sonho.

Heróis do Mar 2

Maputo
Conselho Municipal da cidade de Maputo

Heróis do Mar 1

Maputo
Conselho Municipal da cidade de Maputo

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Sons daqui, aí...


A Minha Pele
(Maria João & Mário Laginha)

Kilas

The Raveonettes


Não ouvi com atenção, não tenho sequer o albúm, mas asseguro a grande sonoridade desta banda dinamarquesa. The Raveonettes ... a abrir, o piadão do nome recordar os sons da motown. Os ares frios do norte da europa bombam mesmo boa música.
O pano-crú do Sérgio Godinho faz 30 anos! Canções como O primeiro dia, O Galo é o dono dos ovos, Balada da Rita (do filme "Kilas, o mau da fita") e 2º Andar, direito. É um grande albúm, mas esta semana curiosamente andei a ouvir outro, o Pré-histórias, com uma das músicas/ melodias mais bonitas que conheço A noite passada.

Se gostamos de acelerar, de partir ondas, de voar, pah então primeiro aprende-se e depois logo vemos se temos capacidade para o fazer. Porque há cada vez mais mulheres dentro de água, se de algumas não me atrevo a questionar a valentia, outras (e outros) há que era melhor ficarem na areia. Esta semana irritei-me dentro de água com uma babe, ao ver um set que rebentava, amedrontou-se e largou a prancha... na minha direcção. Dei-lhe dois berros... educativos. Aqui fica a redenção para o universo feminino, ela é Brava, vem do país Basco, terra de grandes surfers!

Tesourinhos por e-mail

Para os maluquinhos por aviões, para verem o cockpit panorâmico do avião A380.
O relógio do meu PC marca as 10h02, mas acabo de receber um e-mail que diz recebido às 10h05. Estranho ou o tempo dos pc’s não é o nosso tempo?

Afeganistão 2007/ Tim Hetherington vencedor World Press Photo
















terça-feira, 19 de fevereiro de 2008


Museu Virtual Aristides de Sousa Mendes

É lançado hoje o Museu Virtual Aristides de Sousa Mendes.
Vale uma visita em http://mvasm.sapo.pt/


Vik Muniz representado pela Albion no ARCO. Chamam-lhe desenho fotográfico. "... testa a larga escala ao registrar, de cima, desenhos em grandes extensões de terra ou reuniões de grandes quantidades de lixo doméstico ou industrial". Têm aí o resultado.

Voi che sapete


Fui ver o Sweeney Todd do Tim Burton e talvez consiga perceber o fascinio que ele tenha sentido e que o levou a contar esta história. Talvez sinta o mesmo fascinio, sendo isso ainda um pouco estranho para mim, mesmo que um dos meus quadros favoritos seja tão macabro e negro. É este negro que sobrevive em Todd e que é branqueado pela excelente música... pelo excelente tudo!

Porque faz pensar, pelo aspecto formal mais do que pela acção, ir buscar justificação para esta atracção pelo horror, mesmo não sendo inédita. Sabemos que não é.



Alberto Giacometti, Woman with her Throat Cut, 1932, Scottish National Gallery of Modern Art, Edinburgh


The dark side of surrealist desire is represented in this and the following room in the centre of the exhibition space. Alberto Giacometti's sculpture Woman with her Throat Cut (1932) is a powerful image of sexual pleasure and violence, despite the abstract nature of the work. The insect-like forms of the 'woman' are inspired by the praying mantis, which is said to devour its mate after copulation. One of the arms ends in a cylindrical weight that, according to the artist, was inspired by the nightmare of not being able to lift an arm to push an attacker away.




The theme of violence and domination, mingled with fear of a devouring female, is shared by paintings by Picasso and others in this section. The Brazilian sculptor Maria and French-born Louise Bourgeois explore the theme of psycho-sexual tensions between men and women.