terça-feira, 30 de setembro de 2008

Conversa de café

Ela - Já namorei com um rapaz do Porto, ve lá tu.

Ele - Eu não namoro com raparigas com menos de dois apelidos.

macro para o micro

Acabei de pagar o IRS de 2007 e declaro falência técnica até ao final do mês. Gostaria de saber, onde me dirijo, para o Estado me salvar desta...

Em particular a faixa Kids.
É um Arcade Fire promovido ao Electro.
A sonoridade vocal é fora.


É a capa mais surpreendente do mês, pelo feitio de Paulo Bento e do touro Vukcevic. Reconciliação após o apoio massivo que Vuk recebeu em Alvalade. Ele baixou a bola e prepara-se para a fazer voar. É dos melhores jogadores que andam por aí... regresso em grande e no melhor momento, granda pé esquerdo!


Porém já cinco sóis eram passados
Que dali nos partíramos, cortando
Os mares nunca doutrem navegados,
Prosperamente os ventos assoprando,
Quando uma noite...
estrofe 37 dos Lusiadas, episódio do Adamastor
O que é isto de Canal Benfica? O shô Oliveira estava sentado ao lado de L.F.Vieira (no outro o lagarto Costa da CML), deve ter ido lembrá-lo quem detém os direitos de transmissão dos jogos... Aquilo vai transmitir o quê? As donas de casa, fartas dos programas da tarde, ligam-se à Luz e vêm os jogadores no balneário ou as suas mulheres desesperadas, às compras e a levar os putos à escola? A dieta alimentar da Vanessa Fernandes e a carreira de modelo do Nelson Évora. Será passado, tipo canal história e as glórias do tempo da outra senhora (tem de ser mesmo, as recentes deu na UEFA este ano), biografias em repetição, do Eusébio ao diabo de Gaia, aquele que foi dar uns amassos ao fiscal de linha, no jogo com os dragões?

Acho que sim, a mim convenceram meo, assino! Eles, devem ter sido convencidos, pelo grande sucesso(!), das televisões do Barça e do United...

Escutas Íntimas...



Escuto mas não sei
Se o que oiço é silêncio
Ou Deus

Escuto sem saber se estou ouvindo
O ressoar das planícies do vazio
Ou a consciência atenta
Que nos confins do universo
Me decifra e fita

Apenas sei que caminho como quem
É olhado amado e conhecido
E por isso em cada gesto ponho
Solenidade e risco

Sophia de Mello Breyner Andresen


Este poema tem, neste dia de hoje, para mim um sentido especial… Tive uma conversa que me tocou as entranhas, porque me fez libertar o que sinto da minha relação com Ele. Numa partilha franca e aberta, em conversa orante, com alguém que me conhece desde há muito tempo, deixei que de mim se soltasse o Seu sopro. Vou percebendo a minha Missão. Sim, ao que sou chamado… Mesmo correndo o risco de más interpretações ao escrever algo tão íntimo num post, num blog, publico porque quero tornar público, de todos… Não posso guardar o que sinto, porque não vem de mim, vem desta relação que vou estabelecendo com Ele.

No último post falava do vazio que senti, mas que me levou a uma (re)descoberta do Amor… Um vazio que dói e muito! No entanto, é uma dor regenerativa, como que seiva de luz vinda dos vales sagrados dos eternos tempos… É uma sensação estranha, mas… surge a forte sensação de O escutar… É estranho, mas tão bom. Como que se sentisse o envolvimento pelo infinito e que segreda… ESTOU AQUI! Ai, como sou feliz, meu Deus… Chamem-me louco, internem-me. Mas os meus olhos, a minha boca dirão sempre a profundidade da sensação de ser Amado e de conhecer o Amor… Mesmo na consciência do sofrimento que passarei, pelas incompreensões, sei que será sempre sofrimento para gerar Vida… Eu sei que sou louco ao escrever estas coisas por aqui, mas que fazer? Calar-me com pudores e vergonhas? Não posso calar… Nos meus últimos Exercícios Espirituais apercebi-me que um dos meus pecados é o silêncio… Silenciar-me por medos e vergonhas… Não faz sentido…

Porque ao silenciar-me posso impedir que alguém, nem que seja uma pessoa só, possa também descobrir ou, até mesmo redescobrir, um pouco deste sentimento que vivo… Porque não é só para um… É um sorriso aberto, um abraço dado e um beijo respirado, na fusão que acontece, quando em cada gesto coloco(amos) a solenidade pedida e o risco de quem vive o Amor diante do silêncio habitado… Creio que toco ao de leve no sentimento descrito por Paulo, o Santo… Creio que há já um bocadinho em mim que não vive, mas sim Ele a viver em mim… Obrigado!

segunda-feira, 29 de setembro de 2008


O Sporting foi à luz perder pontos. Entrou em grande forma, com Yanic a poder arrumar o jogo no primeiro minuto, e o que se passou foi um prenúncio, para uma noite menos inspirada dos avançados.


O primeiro erro, foi técnico. O Benfica aí foi superior, percebeu o jogo do Sporting, anulou-o e nós não soubemos reinventar, sem Izmailov e Vukcevic, e um Romagnoli também mal. Depois, foi apenas uma abertura da defesa, que permitiu a Reyes um golpe de génio, e o matar do jogo pelo puto Sidnei, num momento em que o Sporting se desintegrou logo após sofrer o primeiro golo. Derrota psicológica em primeiro lugar. A nós deixou-nos tristes.



Fomos superiores em segurança e equipa. O Benfica apenas começa a mostrar valor em termos individuais, não chega para ganhar o campeonato.



Paulo Bento tarda em ler o jogo e mexer na equipa. Tem outras qualidades, não gosto de ler mal acerca dele.



Venha o Basileia na 4ª e os dragões no domingo

A não perder


O Hud morreu.

É um daqueles momentos, em que todos os cinemas, de todo o mundo, deveriam passar em exclusivo um filme com ele. Escolhia A cat on a hot tin roof. É a Perfeição.

Precious

Gollum - My Precious! O my Precious!

Este Gollum terá vindo de outro vilão da história, um tal de Golias. Ambos caem com a colisão de dois mundos.
A cena é, estes gajos, não se tornam mitos à toa.

Workshop Expressão Dramática ou a Reconstrução do Ser


De 7’OUTUBRO a 19’FEVEREIRO
Espaço ACCCA
Edifício Interpress
Rua Luz Soriano, 67, 1º andar posterior
Bairro Alto 1200-246 Lisboa

«Abordar o Presente e lembrar o Passado para reconstruir o Futuro
provoca um misto de fascínio e estranheza.», Frederico Salvador

Sendo o corpo considerado um todo e sempre um todo, este workshop visa abordar o fenómeno do corpo em movimento através de metodologias e técnicas com vista à construção comunicante, sem nunca esquecer a vertente vocal e psíquica. Entre outros aspectos, o trabalho diário de continuidade e regularidade, tais como:

Desenvolvimento da Concentração e Confiança Consciencialização Corporal Eu e o Outro enquanto Indivíduo e Sociedade Articulação Espácio-temporal Noção de Postura e Alinhamento Correcção e Aperfeiçoamento do Andar Movimento Orgânico VS Movimento Mecânico Compreensão do processo de Comunicação psico-físico através da recepção e envio de mensagens corporais Exploração do Movimento à Improvisação Entrar, Estar e Sair de Cena – aplicabilidade ao quotidiano Jogos e Dramaturgias do Movimento Memória Sensorial e Memória Visual Jogos de Contraste O Aparelho Fonador, Como é e como Funciona Colocação de Voz – Exploração de Modelação e Entoações Vocais O Texto e o Discurso O Corpo e o Texto - Discurso aplicados ao dia-a-dia.

PÚBLICO-ALVO Todos os interessados com idade mínima de 18 anos. Pessoas curiosas, interessadas em desenvolverem a formação, profissionais do espectáculo, ou qualquer outra área.
LIMITE MÍNIMO E MÁXIMO DE PARTICIPANTES Mínimo 10 participantes Máximo 20 participantes
INVESTIMENTO DA FORMAÇÃOA formação terá um valor total de 320 euros
HIPÓTESES DE PAGAMENTO
Pronto pagamento: 300 euros
Prestação mensal: 80 euros

FORMADORES:

FREDERICO SALVADOR

JULIANA CONDE

CONTACTOS
T: 91 441 52 28 96 373 06 11
E: recser@iol.pt
B: http://workshopreconstrucaodoser.blogspot.com/

Ontem na Praia Grande, à minha frente um casal. Ela com o filho ao colo, o chapéu de sol no outro braço, um saco de praia. Ele, prancha de surf, fato e um saco com brinquedos. Reparei neles porque de repente, ela desata num malabarismo louco para equilibrar, o puto com o resto da tralha que carregava. Eu e ele, olhávamos para o swell e seguimos caminho. Ela equilibra-se. No fundo, nada mudou. O homem com os seus brinquedos e a mulher carrega o mundo às costas.

Quero-te

Quero-te dos Xutos*
I want you dos Beatles
I want you do Bob Dylan
* Granda falha, não há xutos! Falta esta, vou ter de abrir conta no tube mágico e completar o triangulo. Já dava era umas ideias para o losango do PBento...

domingo, 28 de setembro de 2008

Dois a zero


Paulo Bento, com aquele seu jeitinho tão especial de falar, que estamos sempre à espera que vá ter um ataque de asma e aquela expressão parada, que parece de um actor do cinema mudo, disse antes do jogo que o Sporting não perdia há três anos na Luz. Pois. Mais valia ter ficado calado.

sábado, 27 de setembro de 2008

O mar caiu. Há uma ondinha pequena. E continuo a olhar para ela, a ver se cresce e se transforma na que eu quero. E estamos nisto, em repeat, olho e não encontro, olho e quero aquela que não posso ter, olho e vou imaginando e a imaginação toma conta do real. Raios
A vida como um programa. Apetece.
Dá para repetir o fim de semana passado, muito Guincho, ondas e Sporting?

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Deus - no mundo real!


["o mistério do mundo" de *DaJe, in: olhares.com]


Dos tais três posts que escreveria, deixei este para o último… Mais do que uma reflexão é uma partilha...



“Liberdade é pouco, o que desejo ainda não tem nome”
Clarice Lispector


Nesta nova fase da minha vida estou a (re)descobrir algo que sempre desejei, nesta busca do mais que me caracteriza… (Re)descubro a minha relação com Deus! Repito-me, talvez, mas deixo que se funda em mim a universalidade que desejo alcançar. Sou rico em desejos, como tal não me conformo a uma resignação a este mundo real que se deixa seduzir por uma diluição do sentido, chegando ao sem sentido, evitando ou anulando a todo o custo a realidade Divina…

Há dias espreitei a dureza do vazio interior… Creio que vivi a sensação deste sem sentido a que se pode chegar. Desde que sou jesuíta vou lendo a história dos santos e santas, as suas cartas, diários, pensamentos, textos, escritos e sempre pensava, como é que se pode ser arrebatado assim? O que é que leva a que ao mesmo tempo se encontre uma comunhão tão forte e logo de seguida se entre no abismo? E confirmo algo, em mim… A mediocridade é meio caminho para o sem sentido. De facto, viver nos limites da força do Amor, sem qualquer mediocridade, implica os riscos de dar tudo, mas também de perder tudo, com a única diferença de ser sempre com sentido. Claro que há imensas e eternas definições de Amor, mas falo é daquele que pode implicar mesmo a morte. Mas que tem isto que ver com o mundo real? E Deus neste mundo real?

Andar sob o peso de pressupostos é duro e impede que nos abramos a novas realidades que, acredito, o próprio Deus nos quer mostrar. Ter lido, como comentei há tempos, o diário de Etty Hillesum, derrubou-me. Levou-me a que entrasse no tal vazio interior forte, curiosamente ao mesmo tempo sentir uma confirmação em não ter medo de amar. De alguma forma reconheci-me na vida daquela mulher, nos seus sentimentos para com a (V)vida! Daí sentir que nos dias de hoje faz falta agarrarmos o sentido de dar, mesmo correndo riscos… Até de morte! Viver a "vidinha" quotidiana impede a descoberta funda de cada humano. Estamos subjugados a intrigas, lobbies, interesses, roubos, fraudes, mortes, ganância, vontade de poder desmesurado, perversidade, muita perversidade… Ao que pergunto: para quê? Para satisfação pessoal de alguns? De facto, a "vidinha" não pode ser resumida a interesses mesquinhos e fugazes, não. Também não pode ser resumida ao fechamento que leva à solidão.

Sinceramente, mesmo que a vida, por vezes possa parecer uma m…, há uma beleza imensa que brota do fundo da alma, com um sentido imenso que leva, por um lado, a relativizar, por outro, a deixar que a visão se abra e veja coisas novas… que ainda não têm nome. E não me canso de dizer: Deus, Deus é muito mais do que se possa pensar…



Jane Russell veio hoje com a poeira da manhã, mas lembro-me imenso dela, em particular, do peito e desta imagem. Devo ter visto apenas um dos seus filmes... Os Homens preferem as loiras. Mas sei que, quando estreou o The Outlaw, a censura atacou-lhe o decote ousado... no puritanismo do mayflower americano dos anos 40, as avós de Bragança mandavam na lei, nos bons costumes e lá em casa. Ela viveu até há bem pouco tempo, sempre com um fisico incrivel. Não viveu apenas dele, fundou e ajudou milhares de crianças a encontrarem pais. É uma grande... !
Pedro, não consta que surfasse.

Uma raridade recebida por e-mail

Este vídeo foi achado nos escombros da antiga gravadora dos Beatles (AbbeyRoad Studios) e mostra uma sessão de gravação de uma famosa música dos Beatles (GET BACK), já no crepúsculo do grupo. Mais histórico ainda, vêem-se dois artistas individuais na gravação, hoje consagrados: participando como key board das gravações, o grande pianista negro americano Billy Preston (que, posteriormente, faria uma carreira a solo brilhante); e assistindo (pasmem!) à gravação - lá pela altura do minuto 02:11 - o líder de um grupo que já começava a fazer sucesso como substituto natural dos Beatles, um tal Mick Jagger!

video

E porque é sexta feira...

Honey honey
(ABBA)

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Porque faz sentido no dia de hoje...



["Amizade" de Guilherme Sanches, in: olhares.com]


... depois de uma boa conversa tida!


"A Amizade é acima de tudo certeza - é isso que a distingue do amor"

Marguerite Yourcenar

Nada é tão difícil, como desafiar a nossa vontade.

Casamento Homossexual

Eis um dos temas por excelência, em que o Estado devia apenas legislar pela positiva, equidade e bom senso. Não me parece que deva haver sequer, discussão pública, é corrigir algo, que é negativo e discricionário, para um grupo. Eles, o grupo, se querem casar-se... que o façam, não tenho nada a ver com isso. Não me interessa a vida dos outros. Daí a posição do PS e dos partidos contra, ser, em substância, vitoriana!
O DN hoje recusa-se a enfrentar o mundo, a edição on-line ainda é a de ontem...
Acorda-se com a notícia alarmista (o discurso do fim do mundo do xerife Bush) da injecção de 700 milhões ou o colapso da américa e por arrastão a europa... só isto deu para me entreter até chegar ao work. Se acontecer, é o regresso à terra. Migro para o sul, vou cuidar da terra abandonada, vender laranjas na praia e importar alfarroba para o Japão. Alimento-me do que a terra produz e vou de cavalo apanhar ondas! Do best
Há por aí champagne para putos, maçã assada com borbulhas. Acabámos de festejar a entrada de 6milhões e o arranque do primeiro projecto. Concordei com uma colega, o brinde devia ser com álcool. Só apetece estar de cabeça cheia. Combinámos na hora de almoço ir beber uns copos.
O mar caiu e o Sporting está quase a dar porrada ao Benfica, sic transit gloria mundi

Lendo os outros


Rara

"Não sou especialista mas parece-me que Leonor Beleza está fazer um excelente trabalho na Fundação Champalimaud. Beleza é a minha eternamente desejada presidente do PSD. É um dos poucos talentos políticos que o "25 de Abril" permitiu evidenciar. Por isso a sua honra foi, anos a fio, lançada às feras pelos "escrutinadores" do regime. Aqueles que, dos partidos aos jornais e às televisões, decidem quem é que pode e deve ficar. Há mais de vinte anos que admiro a sua coragem, a sua inteligência e a sua capacidade de enfrentar o "correcto". Lamento que esteja ausente da vida política da mesma forma que verbero o afastamento progressivo de outras figuras, independentemente das respectivas orientações partidárias, o que deu lugar aos piores arrivismos, às mais infelizes reprises e às mais medíocres "novidades". Leonor Beleza faz bem qualquer coisa e está a fazer bem o que está a fazer agora. Vale sempre a pena esperar por ela"

João Gonçalves, in 'Portugal dos Pequeninos'

A minha grafonola

repeat on repeat on repeat on repeat on repeat on .... =D)

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Holly Beck


Eu diria Holly Cow! Para o Pedro... uma surfer com garra.

E isto quer, exactamente, dizer o quê?

«De partida para Paris Manuel Maria Carrilho diverte-se com Bárbara Guimaraes ...»
in LUX, 1 de Setembro de 2008, frase de capa

Há derby lisboeta este sábado, o Sporting vai à luz...

"Vais lá? És maluco, aquilo é só lampiões..."
Sinais dos tempos!
Outro sinal, está escrito no céu... "...tudo isso pode atingir os portugueses. Quase de certeza que vai atingir os portugueses" ... há uns tempos já.

"Não deixar a mamã pentear-nos quando as coisas não lhe correm bem..."

Facilmente generalizavel

Andava por lá um maluco a cantar isto.

Mare Tranquillitatis


Grande surfada hoje pela madrugada, metrão e meio, mar glass, ausência radical de vento, era estar ali à espera que rebentassem. Ainda se conversa e vê-se caras há muito fechadas em casa com a familia. Assiste-se aos primeiros raios de sol, toma-se banho de garrafão e... pensamos nós, que depois daquilo, tudo é levado nice& easy.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Ouvi a história, contada por esta rapariga.
Na prisão de Tires, uma prisioneira ambidextra, com a mão direita escrevia cartas ao namorado e, com a mão esquerda escrevia as respostas do namorado para si mesma. Ambas eram entregues a uma guarda, que as colocava no correio, para recebe-las na semana seguinte.

A caminho das estrelas?

É portuguesa, compõe e canta desde adolescente, é um fenómeno do YouTube onde se lançou com vídeos caseiros, que se traduz em milhares de visitas, é bonita e nova, tem uma voz quente e um timbre bonito, já gravou um single e vai lançar em breve dois álbuns. Tem tudo para ter êxito. Que a sorte lhe sorria.



Ana Free - It's time

xx / xy




Seria difícil talvez, a Miguel Ângelo, deixar a massa corporal do mármore.

Antipressivos para um país deprimido, ansioso e apático


O Alto Comissariado para a Saúde diz que Portugal, em 2007, aumentou o consumo de antidepressivos, ansiolíticos, sedativos e hipnóticos, contrariando o Plano Nacional de Saúde, que previra um decréscimo de 20% até 2010. É natural: com o estado a que isto chegou, a depressão é quase colectiva, a ansiedade ataca quase todos e só nos resta sedar-nos para podermos dormir e tomar hipnóticos para, como zoombies, não darmos cabo de quem nos tem andado a desgovernar de há muitos anos a esta parte. Não se conhecem os números de 2008, que ainda não chegou ao fim, mas devem ser bem piores, e ao vermos o que, quase de certeza, vai acontecer até 2010, bem pode o Ministério da Saúde, reforçar o Orçamento em muitos mais milhões de euros ( em 2006 gastaram-se 240 milhões neste tipo de medicamentos).

Mueck: o Criador!



Nature makes you look pretty ugly

Aquecimento Global

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Bons tempos...


*Recebido por e-mail. Obrigado Joana!

In mis sueños te colmo


Kripton

No fds houve Guincho a compensar a ausência do resto do Verão....................... .......... overdose de ondas ............................ ......... ......... ..... ...... ....... .... .......... ..................... ................. ................................................ ..................... ........ .................. .................... ...................., houve 2 golos do Sporting e o assumir o comando, houve vindima de roriz e cabernet sauvignon, sob sol e sobre lama intensa, .............. , houve cães e gatos, na terra e no céu, ................................................. , .................., .......

11:11 à boca do inferno

domingo, 21 de setembro de 2008


Helena Roseta dá hoje uma entrevista ao DN. Fala de Lisboa, do PS, dos partidos e de questões controversas em discussão na sociedade e na AR. Goste-se ou não dela é uma mulher sem papas na língua, que chama os bois pelos nomes. Concorde-se ou não com ela, sabe do que fala e, no caso de Lisboa, tem ideias, é objectiva, não faz rodriguinhos, fala da cidade que existe e dos seus problemas e aponta erros que toda a gente sente e que os políticos costumam rodear com discursos palavrosos e desculpas tolas. Sobre os partidos diz o que, quem já por lá andou, sabe mas não diz para não perder a oportunidade de aproveitar algumas benesses. Sobre os problemas que se põem agora à sociedade portuguesa e que estão a "entalar" o PS, fala desassombradamente. Concorde-se ou não com ela, se tivéssemos na politica mais pessoas com a sua qualidade, ficávamos melhor servidos.

Back to the track, 2-0 sobre o Belenenses

Quantificação de momentos?
Celebração de um golo, uma onda mesmo que ao longe, estar com alguém.
A forma como o cérebro os arruma e preserva. Eternidade.

sábado, 20 de setembro de 2008

Sobre o Iraque

«(...) Numa época em que todos parecemos cépticos em relação às virtudes dos EUA, a coragem, a determinação e a capacidade dos militares americanos é algo que ignoramos ou desprezamos. Mas, como um coronel iraquiano disse ao ver uma patrulha de fuzileiros americanos em Fallujah no ano de 2004, "os americanos são a tribo mais forte" (...)»
Miguel Monjardino in Expresso de 13 de Setembro de 2008

Hoje está assim: raindrops keep fallin' on my head

video

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

luv u

Massive Attack
Angel
Horace Andy a dominar
fica o tube
Em defesa da linguagem sms, concordando em parte com o post de JCS http://lobi.blogs.sapo.pt/259563.html?mode=reply#reply
Mas, gozando mais os comentários. Mostram (1) um claro conflito geracional e (2) um não querer entender que este fenomeno veio para ficar.

É bom que nos adaptemos e protejamos a lingua, a sanidade social dos adolescentes (a web é só mais um meio para o conhecimento), etc... e entrar na mesma onda. É uma escrita inteligente ao contrário do que se possa pensar de início.

E porque é sexta-feira...


Brilho
(Expensive Soul)


Vemos coisas que não vemos
Consumimos demais, o que é que tem?
Preocupamo-nos com outros
E esses outros somos nós também
Queremos sempre o que não temos
Espiritualidade gasta em vão
Não podemos ser pequenos
Nascemos todos da mesma razão

Vamos é curtir
Esta vida boa é feita pra sentir
Hoje vou tirar o dia para tar na paz
Vou onde o sol brilha tava a ver que nunca mais
Vamos é brindar
Esta noite é nossa, só temos que festejar
Pôr de lado tudo aquilo que nos faz mal
E amanhã será igual

Idealizamos o que vemos
O que realmente somos eu não sei
Devemos todos falar menos, oh
Comunicamos sem sabermos bem

Sentimento
Vem de dentro
Não há hora certa, não
E o momento
Mais intenso
É quando tu me deres a mão
Vou embora
Fazer história
Porque eu também brilho
Sem demora
É agora
Vou levar-te comigo

Vamos é curtir
Esta vida boa é feita pra sentir
Hoje vou tirar o dia para tar na paz
Vou onde o sol brilha tava a ver que nunca mais
Vamos é brindar
Esta noite é nossa, só temos que festejar
Pôr de lado tudo aquilo que nos faz mal
E amanhã será igual
Quando o sol brilha
Quando o sol brilha
Quando o sol brilha
Onde tudo nasce
Quando o sol brilha
Quando o sol brilha
Quando o sol brilha
Onde tudo nasce
Meu caro ouvinte venho por este meio comunicar
Que não vale a pena se irritar
A vida é umas férias que a morte nos dá

Hoje tamos aqui, amanhã sabemos lá
Chega de stressar, chega de ouvir o patrão
Vamos é chilar, hoje é noite de verão
Com este calor abrasador ninguém nos pára
Não fiques com essa cara
Aqui agora é tudo bom
Por favor DJ aumenta mais um pouco esse som
I say hey, hey
Já sabes como é que é
I say hey, hey

Muda o rumo da maré
I say hey, hey
Vem praqui pra sermos bué
I say hey, hey
Manda vir mais um café
Manda vir, yo, manda, manda vir (hooo)
Manda vir, yo, manda, manda vir
Manda vir, yo, manda, manda vir (hooo)
Manda vir, yo, manda, manda vir
Vamos é curtir
Esta vida boa é feita pra sentir
Hoje vou tirar o dia para tar na paz
Vou onde o sol brilha tava a ver que nunca mais
Vamos é brindar
Esta noite é nossa, só temos que festejar
Pôr de lado tudo aquilo que nos faz mal
E amanhã será igual
Yeeey
Quando o sol brilha
Quando o sol brilha
Quando o sol brilha
Onde tudo nasce
Quando o sol brilha
Quando o sol brilha
Quando o sol brilha
Onde tudo nasce

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Divirtam-se

http://www.addictinggames.com/globegame.html

A Ironia da Vida: Mário Soares – Presidente da Comissão para a Liberdade Religiosa



Depois de ler o “Lendo os outros III”, li o artigo de opinião de Mário Soares. E ressaltou-me o título que escolhi: Ironia da Vida. Não percebo como é que um presidente da Comissão para a Liberdade Religiosa pode escrever tal opinião. Rapidamente pode argumentar-se que cada um tem a opinião que quer. Ao que digo: sim, até certo ponto. Até certo ponto, porque dependendo da situação há o condicionamento da função, cargo, que se exerce. Como digo, não me choca nada que Mário Soares, em seu nome, estando desvinculado desta Comissão, apresentasse a sua opinião, mas exercendo o cargo que ocupa…

Pergunto: o que é ser mais culto e intelectualizado? Esta forma de categorização, como qualquer outra que leve a extremos, acho-a mesmo perigosa. Aplicar-se-á apenas àqueles que têm uma vasta formação académica, com muitos conhecimentos sobre algo específico ou, até mesmo, em várias áreas? É inegável que ter muitos conhecimentos permite o aumento de cultura e intelectualização, mas será a única condição? Outra questão, ainda: será que o ser humano será definido apenas pela sua dimensão intelectual, racional? Inegável também que é um dos aspectos que o permite distinguir dos outros animais. No entanto, também é perigosa a absolutização de apenas uma das dimensões do humano. E não tenho medo de reconhecer, enquanto crente, o perigo da absolutização do ser religioso, ou do não o ser. Resultado: fundamentalismos. Creio que Mário Soares, enquanto presidente desta Comissão deve saber – algo intelectual – estes pormenores, porque não são novos, nem originais.

É um facto que a Revolução Francesa, com os seus princípios de igualdade, fraternidade e liberdade, levou a que a laicidade se instituísse de forma quase radical, primeiramente em França, mas também por outros países da Europa. No entanto, isto não significa que, de repente, acabasse a crença, ou houvesse um esquecimento total do religioso. Lourdes confirma-o, por exemplo – mesmo havendo a possibilidade de se dizer que é apenas o “povo” que lá vai em busca do milagre – será?. Além disso, há grandes filósofos, teólogos, cientistas cultos, intelectualizados e crentes na história francesa. Recordo Paul Ricoeur (cristão de orientação calvinista), Joseph Moingt (cristão de orientação católica), Pierre Teilhard du Chardin (cristão de orientação católica), Emmanuel Lévinas (judeu).

Creio que é preciso cuidado quando se faz determinadas afirmações. Além do mais quando se tem responsabilidades acrescidas, perante o cargo que se ocupa…

luv u

Massive Attack
Angel
Horace Andy a cantar
fica o tube

Pro Americano Primário

A partir do belo post de Paulo Sj acerca da educação, tarda em importar o modelo norte-americano de ensino.
Penso tem algumas falhas, por não apostar tanto, na interdisciplinaridade europeia (talvez abusiva na forma, não no conceito). À pressa de passar conceitos das várias ciências/ disciplinas, fazem-no de forma chata e maçuda.
O principal é a alteração da figura. Do professor europeu, esse ser longinquo, que nunca se engana e raramente tem dúvidas, ao professor da escola norte-americana, que está lá para os ajudar, sobretudo, a pensar. É a diferença entre criar, fotocópias e originais!
Se tivesse pachorra, ia gostar de ouvir, os defensores do Liberalismo, comentar o actual estado das coisas.
É bom que se tire daqui a lição, da necessidade do Estado Social.

CR Returns


Esta imagem é excelente, mostra a proximidade em Old Trafford, do público com os seus herois.
Já agora, nem nos jornais desportivos, a imagem de CR, é vestida. De há uns tempos a esta parte, os penteados, tatuagens, o que seja, passou a ser notícia ao lado dos factos desportivos. Isto é o carnaval social e a penetração do metrossexual na sociedade.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Educação - Aterragem como professor!

Como escrevi, ontem dei as minhas primeiras aulas. Duas turmas de 5º ano e uma de 9º. Foi uma experiência engraçada… As apresentações, as perguntas, as manifestações de interesse, quer pelo colégio, quer pela disciplina. A forma como abordei o tema… Para os mais pequenitos, foi mais a responder a perguntas: “stôr, escrevo a ficha de apresentação a lápis ou a caneta?”; “Senhor professor, é para escrever o nome todo ou só o primeiro?”; “stôr, escrevo a palavra ’sumário’ no lado direito ou no centro do caderno?” e por aí fora… Vai ser bom, mais do que ensinar e explicar matérias, educar. Creio que será a minha principal função!

No 9º ano, já puxei um pouco mais. Comentei a importância de uma educação religiosa para a nossa vida, tendo em conta que muito da nossa cultura está inserida no religioso, independentemente de uma crença ou não. Além do mais, seria importante pensar que em muitos aspectos da informação, por exemplo, há uma ignorância estranha. Quando se lê, por exemplo, numa crónica “(…) ‘nem só de pão vive o homem’ como já o diz Paulo Coelho’ (…)”, é de arrepiar um bocadinho…

Tenho a sensação de que vou gostar muito de ser professor… Além do mais de educação religiosa. Houve um ou outro, do 9º, que comentou ser ateu com convicção. Dei-lhe o meu sorriso e respondi o normal: “não estou aqui para converter ninguém, apenas mostrar que a dimensão religiosa faz parte do humano, quer se queira, quer não”.

E eu, como me sinto? Por um lado uma vontade enorme, mas também, por outro, algum receio. Vontade por poder vir a ajudar a formar, mas receio de, sem querer, formatar. Não quero embarcar nos falsos respeitos, que, em nome de uma pseudo-tolerância, se dá a conhecer a religião de forma neutra e isenta, porque creio ser, no meu caso, impossível. Vou ensinar sobre a Bíblia, Antigo e Novo Testamentos, vou falar de Jesus, vou falar, inevitavelmente, da minha vida. Não acredito na plena neutralidade. Quero respeitar ao máximo a opinião dos alunos. Olhar para cada um com a sua história de vida, com a sua realidade pessoal. Afinal, não sou o detentor da verdade, posso ser de parte dela, mas não da verdade. Quero aplicar o que tenho maturado em mim: uma escuta atenta a cada um, na medida das minhas possibilidades.

Isto não fará de mim menos exigente. Recordo os melhores professores que tive e todos foram de uma grande exigência. Aprendi muito com eles e é isso que quero: que os meus alunos aprendam sobre as temáticas apresentadas, mas acima de tudo, os valores de responsabilidade, respeito, sentido de vida, encontro consigo e com os outros e que não sejam medíocres… Vai ser engraçado…

Próximos posts...


Gostava de incluir muita coisa, mas vou escrever por partes. Os próximos posts:

“Educação – a aterragem como professor!”

“A Ironia da Vida – Mário Soares – Presidente da Comissão para a Liberdade Religiosa”

“Deus – no mundo real”

Avanço-me nas escritas…

Até já!


Ajax de Braque
As duas em baixo, são Hirst

Lets shake consciousness


The Physical Impossibility of Death in the Mind of Someone Living (1991)


Dizia-se ontem, o Barcelona é a minha segunda equipa. Nasceu este sentimento, com os jogos incriveis dos anos 90, quando Figo, Fernando Couto e Vitor Baia reinavam. Hoje joga:

Dani Silva - o brasuca maravilha
Puyol, Iniesta e Xavi - 3 dos melhores da squadra campeã europeia
Eto´o e Thierry Henry - 2 magos várias vezes nomeados para melhor do mundo
Messi - a par de CR, o melhor do mundo
fora os outros...

Só um pouco tendencioso

Alguém viu o penalty sobre o Eto´o?
O Eto´o viu?
Alguém reclamou?
O Barcelona reclamou?
Parece que um senhor que andava por lá de apito na boca, viu!
Não desculpa, mas arrumou com a eliminatória.

Viva Ronaldo

"É provavelmente o melhor paciente que eu já vi. Trabalha todos os dias até às cinco da tarde e teve uma determinação real para voltar a jogar por nós. Está muito à frente do prazo para regressar e isso tem de lhe ser creditado." Sir Alex Fergurson, do Manchester United sobre CR.
Para juntar, à galeria de afirmações como "...nos treinos é preciso mandá-lo parar!". Mas claro, aos campeões é exigido humildade. Heitor e Aquiles que o digam.

Ficção Cientifica


Pequim, 16 Setembro - O sul-africano Oscar Pistorius arrebatou a sua 3.ª medalha de ouro nos Jogos Paralímpicos ao vencer os 400 metros com novo recorde mundial. Antes já havia ganho os 100 e 200 metros.

Hiper Corporativismo

Juízes.

Corporativismo

FELIZMENTE...

«Sou menos crítico de Bush do que está na moda sê-lo, embora seja severamente crítico da maneira inacreditável como o day after decorreu no Iraque.

Em todo o caso, os juízos quanto a Bush estão a mudar, tal como aconteceu com Reagan, que a esquerda também não se cansou de ridicularizar. Uma revista equilibrada como a Prospect, no seu número de Agosto, já inclui um artigo de Edward Luttwak, em que se pergunta se Bush não teria afinal razão em vários aspectos principais do seu mandato e, muito em especial, na luta sem quartel que desarticulou o "global jihadism" terrorista depois do 11 de Setembro, bem como na desnuclearização (Líbia, Síria, Coreia do Norte), na posição de firmeza relativa ao Irão (lá onde a Europa falhou completamente), e até na evolução das relações económicas dos Estados Unidos com a China e a Índia.

De resto, a economia dos Estados Unidos não tem vindo a portar-se assim tão mal apesar da crise do subprime: crescimento médio anual de 2,2% entre 2001 e 2007, expansão económica da ordem dos 19%, desemprego da ordem dos 4,7% (na Zona Euro, foi de 8,3% no mesmo período). Para um estudo Gallup, só 9% dos americanos estão descontentes e receosos de perder o emprego; para outra sondagem (Harris Interactive), 94% dos americanos estão satisfeitos com a vida que têm (estes e outros números são apresentados por Nicolas Lecaussin no Figaro de 11.9.08).

O argumento de que a maioria dos europeus prefere Obama a McCain não tem qualquer peso eleitoral, só mostra a parvoíce dos europeus e como acaba por ser eficaz a diabolização que a esquerda se encarrega de promover desde que se trate dos Estados Unidos e dos republicanos, enquanto se vai babando, extasiada, de socialismo prospectivo.

Obama como símbolo de ultrapassagem da questão racial não interessa nada. A questão está resolvida nos Estados Unidos e os grandes marcos dessa tradição até são republicanos. Como Yves Roucaute recordava há duas semanas (Figaro, 4.9.08), o partido republicano foi criado por Abraham Lincoln contra o partido democrata esclavagista; o voto aos negros foi dado pelo republicano Ulisses Grant em 1870, e não pelo democrata que o antecedeu, Andrew Johnson; o partido democrata só começou a aceitar a igualdade de direitos em 1961; a primeira nomeação de afro-americanos para cargos como o de chefe de Estado-maior e o de secretário de Estado foi feita pelo republicano George W. Bush.

Mas deve perguntar-se o que é que pode significar para a Europa a eleição de Obama. Ele acabará com os benefícios fiscais para as empresas que criem emprego fora dos Estados Unidos, isto é, bloqueará as deslocalizações americanas para a Europa e a Ásia, e procurará repatriar o investimento americano no estrangeiro. Reforçará as barreiras aduaneiras. Defenderá o proteccionismo e a guerra económica. Quererá renegociar as condições de existência da NAFTA, impedir a entrada nos Estados Unidos de produtos dos países emergentes e também dificultar a concorrência europeia.

Diferentemente, McCain, que fala de mercados estrangeiros abertos para os agricultores norte-americanos, defende esforços multilaterais, regionais e bilaterais que permitam reduzir as barreiras ao comércio e conseguir o cumprimento "fair" das regras de comércio global. Tudo isto vem ao encontro de interesses europeus numa mundialização a que nenhum país escapa.

Quanto ao Irão, ao Iraque, a Israel e outras questões da mesma natureza, Obama tem sido sucessivamente contraditório, não havendo uma ideia clara quanto às suas verdadeiras intenções... O ponto em que tem sido mais afirmativo respeita a uma retirada das tropas americanas do Iraque sem atender às consequências, matérias em que McCain defende soluções mais moduladas, mais realistas e mais sensatas.

A eleição de Obama poderá sair muito cara a uma Europa em crise múltipla, pateticamente destituída de qualquer capacidade militar digna desse nome e cronicamente dependente do parceiro americano para a segurança dos seus cidadãos e do seu território. Sabe-o a esquerda, e por isso exulta. Sabe-o a direita, mas só agora começa a dizer alguma coisa. Enfim, afigura-se que McCain vai ganhar. Felizmente.»

Vasco Graça Moura, in Diário de Notícias, 17 de Setembro de 2008

It stops



(A propósito de "Love Streams", de John Cassavetes)

"Afinal era num tribunal. Ao saber que a filha fica "confiada" ao pai, Gena Rowlands colapsa sem qualquer colapso. Deita-se apenas no chão. Pura impotência. Mais adiante (...) Rowlands está no psiquiatra (em 1984 dificilmente estaria com um psicólogo) e ambos fumam (vejam lá). Rowlands explica que o amor é uma corrente ("love streams") e, como tal, é contínuo. Não pára. Tudo o que lhe acontece - a família esfarelada, a vida absurda - resulta de essa corrente poder ser interrompida, o que ela recusa. Aí entra o psiquiatra. Diz-lhe que, contrariamente ao que ela pensa, o amor pára ("it stops"). E pára mesmo. Se calhar, o papel do psiquiatra é precisamente o de nos dizer que o amor pára. Ele é necessário porque não existe qualquer corrente de amor em regime de continuidade. É ele que devolve "realismo" ao absurdo gerado pela não compreensão do fim da corrente. Talvez o essencial se resuma, afinal, ao meu querer que haja uma corrente infinita e ela não estar lá. Nunca. Daí o álcool, os comprimidos, os amantes furtivos. Deus? A Duras tinha uma "fórmula" cruel para dizer isto. O álcool tomou o papel de Deus. Substituiu-O. Será verdade? Os personagens de Cassavetes começam a beber logo de manhã.(...)"

João Gonçalves, in 'Portugal dos Pequeninos'

Maria Callas "desapareceu" há 31 anos



Vissi d’arte, vissi d’amore,
non feci mai male ad anima viva!
Con man furtiva
quante miserie conobbi aiutai.
Sempre con fè sincera
la mia preghiera
ai santi tabernacoli salì.
Sempre con fè sincera
diedi fiori agl’altar.
Nell’ora del dolore
perchè, perchè, Signore,
perchè me ne rimuneri così?
Diedi gioielli della Madonna al manto,
e diedi il canto agli astri, al ciel,
che ne ridean più belli.
Nell’ora del dolor
perchè, perchè, Signor,
ah, perchè me ne rimuneri così?

I lived for art, I lived for love,
I did no harm to any living soul!
With a secret hand
I aided all the misfortunates I knew.
Always with sincere faith
My prayer
Rose to the holy tabernacles.
Always with sincere faith
I gave flowers to the altar.
In the hour of sorrow
Why, why, Lord,
Ah, why do you reward me thus?
I gave jewels to the robe of the Madonna,
And gave song to the stars, to the sky,
Which smiled all the more beautifully.
In the hour of sorrow
Why, why, Lord
Ah, why you reward me thus?


terça-feira, 16 de setembro de 2008


A excitação começa a tomar conta do corpo. Está quase...

Curiosidades

Cerimónia de comemoração dos 175 anos do Supremo Tribunal de Justiça ou uma mera concentração de aventais?

Lendo os outros III

permitam-me um parentesis

Unicamente para qualificar como NOJO o artigo de opinião que Soares escreveu hoje no dn:
"(...) O Papa em visita à França, republicana e laica, onde há apenas cerca de 10% de praticantes católicos foi um acontecimento. Foi recebido pelo mediático casal presidencial Carla Bruni e Sarkozy - muito fotografado e filmado com os seus anfitriões - falou a umas centenas de intelectuais, políticos e empresários, reunidos no Colégio dos Bernardinos, em pleno Bairro Latino e rezou perante 250 mil pessoas. Disse, entre outras, duas coisas importantes: "É preciso uma nova laicidade" (Porquê? Não basta a definida no Concílio Vaticano II?); e a Igreja "pode ajudar a dotar de moralidade o capitalismo financeiro globalizado" (Como? Não explicou). De qualquer modo, teve mais sucesso do que quando esteve na sua terra, a Alemanha.
Por seu lado, Sarkozy, falando ao gosto do seu interlocutor, adjectivou a laicidade, chamando-lhe positiva (porquê?) e disse que "prescindir das religiões (no plural) é uma loucura e um ataque à cultura". Esqueceu-se que muito mais de 10% da população francesa é agnóstica ou mesmo ateia e, entre ela, seguramente, está a maioria dos segmentos sociais mais cultos e intelectualizados..."
Realço a última frase, reveladora da arrogância intelectual do autor e que pode bem ter constituído uma das principais razões para a sua estrondosa derrota nas últimas presidenciais. O que mais perturba, porém, é o facto de Soares ser hoje o Presidente da Comissão de Liberdade Religiosa, como bem lembra o João. Se decência houvesse, é evidente que amanhã Soares já não exerceria tais funções.
Rui Castro, in '31 da Armada'

Post Anti-Americano Primário

Os EUA são a superpotência conhecida, devido a um fenomeno, extremamente interessante e exemplar, acolhem e vão colher, os cérebros oriundos de todo o resto do mundo. Este, reflecte-se em todos os campos do pensamento, da ciência, das artes... excepto, na política.
Não me recordo de um von Braun, um John dos Passos, um Steinberg ou uma Greta Garbo na política. Temos tido vários cowboys, herdeiros dos primeiros colonos, aqueles que viajaram no Mayflower e outras traineiras. Daí a apetência natural para brincarem aos indios e cowboys.

É uma evidência, os Europeus, não só na história, estão muitos anos à frente da espécie, do puro sangue americano.

Lendo os outros II

???

Como lembra aqui o João Gonçalves, o mesmo Mário Soares que hoje assina este texto é, de facto, também o Mário Soares presidente da Comissão da Liberdade Religiosa. Porquê ele, isso só deverá ser compreensível na cabeça de quem o escolheu. O site da dita Comissão, ainda por cima ufanamente auto-intitulado portal, é uma porta para o deserto e revelador do que a dita Comissão tem feito. Ou, melhor dizendo, deixado por fazer. Depois de nos anunciar logo na página de entrada, com pompa e circunstância, a tomada de posse de Soares ocorrida há mais de um ano, bem podemos tentar descobrir um texto actual, uma notícia, uma razão de ser. «Não se encontra», como diz a minha telefonista. Serve para quê, isto?
João Villalobos, in 'Corta-Fitas'

Lendo os outros

A IGNORÂNCIA É ATREVIDA

«Sarkozy, falando ao gosto do seu interlocutor [o Papa], adjectivou a laicidade, chamando-lhe positiva (porquê?) e disse que "prescindir das religiões (no plural) é uma loucura e um ataque à cultura". Esqueceu-se que muito mais de 10% da população francesa é agnóstica ou mesmo ateia e, entre ela, seguramente, está a maioria dos segmentos sociais mais cultos e intelectualizados...» Esta "sentença" pertence a Mário Soares, esse extraordinário produtor "ideológico" e "cultural" que, nos livros de entrevistas com Maria João Avillez, "resumia" a sua "ideologia" a "levar a água ao meu moinho...". Indignado com Sarkozy e, naturalmente, com o Papa que, na sua cabeça de regedor da I República, não passa de um perigoso reaccionário, Soares acha que Raztinger foi a França apenas para "falar" aos dez por cento "de praticantes católicos". Soares devia abster-se de se meter no que não sabe. E, entre duas sonecas e três entrevistas com Hugo Chávez, ler alguns dos livros do Papa. Esta acrimónia ignorante é tanto mais grave quando Soares preside a uma comissão qualquer sobre liberdade religiosa. Não lhe fica bem ser atrevido.
João Gonçalves, in 'Portugal dos Pequeninos'

Duas formas de ver a mesma coisa

Discute-se hoje o suicídio assistido. Os seus apoiantes argumentam pela lógica de uma morte com dignidade. Mas não devemos antes lutar por uma vida com dignidade. Não é aqui que entra a necessidade dos cuidados paliativos, o seu reconhecimento e a necessidade da sua prática em todos os centros hospitalares e médicos?
Duas maneiras de encarar o fim de vida.

Prémio é como as taxas de juro, estúpido

«O crime vai estabilizar em Outubro.»
José Manuel Anes, Secretário Executivo do Observatório da Criminalidade, Segurança e Terrorismo, in Focus

Capitalismo moderno


A minha secretária passou a manhã aflita a tentar tirar de um banco americano uns ppr's que tinha para lá. Parece que é mais uma das instituições que está a um passinho da falência. Enquanto isso fui tendo alguma dificuldade em conseguir que ela fizesse as chamadas que eu precisava. Queria, pois, pedir aos senhores americanos que párem com estas crises e falências das suas instituições financeiras porque estão a dar-me cabo da agenda e dos nervos da minha Susana!

Hoje e amanhã







A Arte… não produz conceitos, ainda que proponha problemas e provocações.
Mas gera sensações, afectos e intensidades.
Esse é o seu modo de propor problemas, que por vezes se alinham com… conceitos.


Elizabeth Grosz - [Chaos, Territory, Art: Deleuze and the framing of the earth,
New York, Columbia University Press, 2008, p. 1]

“O Encontro Efémero.Criação.Acontecimento visa reunir investigadores universitários, criadores e mediadores culturais para uma reflexão e um debate capazes de aprofundar o conhecimento sobre a Arte, em particular a que é realizada em Portugal. Objectivo complementar: discutir criticamente os caminhos que a Criação pode percorrer quando lhe importa rever a sua dimensão estética e política, no seio da sociedade actual.

Repensar a nossa relação com o Efémero e aceitar o desafio do Acontecimento, em antecipação de uma Bienal da Luz, são duas acções articuladas que motivam uma visão estratégica sobre a problemática da criação na contemporaneidade. Se os convidados estrangeiros Christine Buci-Glucksmann [França] e Malcolm Miles [Reino Unido] representam duas posições particularmente ricas e sólidas sobre as duas categorias que o Encontro procura debater, o conjunto de convidados nacionais oferece uma panorâmica abrangente e transversal da produção artística na actualidade, nomeadamente na sua relação não apenas com o mundo das ideias, mas com o próprio espaço urbano e o presente quotidiano.

Participantes, modelo e objectivos

Christine Buci-Glucksmann, José Manuel Rodrigues, Margarida Medeiros, Pedro Costa, Luís Oliveira, Susana Mendes Silva, João Fernandes, Pedro Amaral, Paulo Ferreira de Castro, Luís Carmelo, Malcolm Miles, Manuel Gusmão, Teresa Cruz, Jacinto Lageira, Pedro Bandeira, Delfim Sardo, João Tabarra, Miguel von Hafe Pérez, Tiago Guedes, Ana Pais, Pedro Cabral Santo, Carlos Vidal e Idalina Conde debatem a articulação entre dois conceitos filosóficos – o Efémero e o Acontecimento – fundamentais no âmbito da produção artística contemporânea.

Relevando o pensamento e experiências marcantes no campo da investigação, da mediação cultural e da actividade artística, em áreas diversas – das artes plásticas à música, do cinema à fotografia –, o encontro propõe-se não apenas como gesto cartográfico, mas sobretudo enquanto modelo de reflexão estratégica para a criação artística na actualidade e a sua afirmação em sentido lato.

Destinatários

Investigadores e estudantes do Ensino Superior, com relevo para as áreas da Filosofia e da Estética, da História e Crítica de Arte, das Artes Visuais e Performativas, das Ciências Sociais e de áreas projectuais como a Arquitectura, o Design ou o Urbanismo. Revestir-se-á de interesse também para quaisquer agentes e mediadores culturais, sem exclusão de outros profissionais do Desenho Urbano ou da Arte Pública, assim como de um público geral interessado nas questões da produção e da recepção da actividade artística”.

As sessões são abertas ao público. A entrada é livre.

efemero.acontecimento@gmail.com

Informação do Instituto Franco-Português
O maior foco de instabilidade mundial, os EUA, continuam a dar cartas.

Não é apenas a política expansionista e bélica, é o imperialismo norte-americano em relação ao resto da América, são as figuras que elegem como comandantes supremos da nação, é a atitude constante sobranceira que afasta o conhecimento, é a política do favorecimento, do lobby, contra o bem estar da população, do meio ambiente, do mundo.

E é a crise petrolifera, o sub-prime, a falência de bancos e casas financeiras, do consumo, ... é o retrato de um país e sociedade em crise, com eles mesmos e com o universo que criaram.


Não fosse Disney um génio, e seria condenado pela Fantasia que trouxe ao Oeste.

Jogamos hoje com o Barça em Camp Nou. O Barça é um SLB, mantém uma glória que rivaliza com a dos exércitos de Júlio César, mas hoje, é um espelho do passado. Eto´o, Messi e Henry são nomes gigantes, mas inconsequentes em empurrar a sua equipa para a vitória. Têm sido ultrapassados na Liga Espanhola e este ano cederam no arranque. Fragilizados, partidos, querem ganhar sem saber bem o que fazer. Muito perigosos sempre mas num excelente momento de serem derrotado e trazermos de Camp Nou uma vitória.


Funchal, 12 Setembro - Cristiano Ronaldo, que amanhã vai receber com "orgulho" a "Bota de Ouro" por ter sido o melhor marcador dos campeonatos europeus, chegou ao final da tarde à Madeira, sem grande vontade de prestar declarações.
Há quem se chateie com isto!

Daqui a meia hora...

[Foto "Regresso às aulas" de Zani. In: olhares.com]

... dou a minha primeira aula. 5º ano, 28 alunos.

Ainda o Café Portugal

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Muito!



Gosto muito desta música e adapta-se para um dia de hoje... Lua Cheia, linda, vista daqui... E pensar que posso rezar a ouvi-la... "Surround me with Your Love". Tenho dito... [Ah, ouvir só a música, não reparar nas imagens...].


Uma estreia no mundo da criminalidade

«Caixa Agrícola Torres Vedras assaltada por homens armados.
A dependência da Caixa de Crédito Agrícola da Freiria, Torres Vedras, foi esta manhã assaltada por dois homens armados e encapuzados que terão levado o montante que se encontrava disponível, revelou fonte da GNR.»
E parabéns temos a Caixa de Crédito Agrícola como a mais recente estreia no mundo da criminalidade.
Por este andar qualquer dia ficamos sem instituições bancárias como estreias para esta nova categoria que está na moda em Portugal: a categoria de assaltado.
A onda que varreu o mundo, no pós 11 de Setembro - vésperas de invasão do Iraque, ameaça agora regressar. É o efeito eleições EUA McCain/ Pallin - Obama.
Este fenomeno nasce com a fé política. O homem hipoteca a sua vontade, à de um grupo, que considera iluminado. Está bem... venham mais, pena não poder ser "traga dois e um copo de água!", engolia-se e o efeito alucinogéneo durava um mandato.

A vitima Manuela Ferreira Leite

«... Neste clima, ninguém ouviu ou ouvirá Manuela Ferreira Leite, mesmo que num acesso de generosidade ela resolva confidenciar o que anda a pensar (se, de facto, anda a pensar alguma coisa) ao cidadão-comum. A direita e o centro-direita já duvidam que a "tia Manuela" consiga pôr a "rapaziada" na ordem. E, pior ainda, o PSD continua a não subir nas sondagens. Em seis meses, Manuela Ferreira Leite perdeu a oportunidade de unificar o partido e de lhe dar alguma convição e propósito. Mas provavelmente este partido não é unificável ou capaz de convicção ou de propósito. E Manuela não passa de uma vitima. De outra vitima.»
Vasco Pulido Valente, in Público, 14 de Setembro

domingo, 14 de setembro de 2008

Madonna em directo! 2

Madonna em directo!

Lendo os outros


"Cristiano Ronaldo quis ir à Madeira, sua terra natal, para receber uma "bota de ouro". Parece que tencionava homenagear, a título póstumo, o pai. No aeroporto, ignorou os compatriotas que o foram saudar à chegada. Ontem, à porta do hotel onde foi coroado como tal, o "bota de ouro" fez esperar em vão umas dezenas de madeirenses orgulhosos por o pé que calça a "bota" ser um dos seus. Ilusão deles. Mais uma vez, Ronaldo só estava disponível para o que o esperava lá dentro: o sr. Horácio Roque e as televisões. Babaram-se uns para os outros porque, naturalmente, estão muito bem uns para os outros. Ex-pobre (e não há nada pior do que um "ex" qualquer coisa), imaturo e ignorante, o "bota de ouro" não passa de um deslumbrado com talento nas pernas. Nas três pernas, a avaliar pelo galinheiro que cacareja permanentemente atrás dele nas revistas da "especialidade". De resto, o dinheiro encarregou-se de destruir o menino que jogava na rua com os vizinhos cuja alegria se quis manifestar junto dele e que ele, moldado pelo espectáculo em que se tornou, se recusou a partilhar. O "bota de ouro" é o expoente de uma certa alarvidade "social" que veio com a democracia. Uma alarvidade que brilha tanto ou mais do que o ouro da bota. E que costuma acabar tão surpreendentemente como começa."

João Gonçalves, in Portugal dos Pequeninos

Hoje acordei mais ou menos assim...



"(...)
What happened to the wonderful adventures
The places I had planned for us to go
(slipping through my fingers all the time)
Well, some of that we did but most we didn't
And why I just dont know
(...)"

Grace do Mónaco, actriz e princesa


Morreu há 28 anos em 14 de Setembro. Foi uma actriz talentosa, que ganhou um Globo de Ouro e um Óscar. Fez filmes inesquecíveis, como Mogambo, O Cisne ou Alta Sociedade. Tornou-se Princesa do Mónaco, num conto de fadas dos tempos modernos. Recordá-la é lembrar uma das mais bonitas mulheres do seu tempo e uma actriz incontornável da história do cinema.




Bing Crosby e Grace Kelly - True Love

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

À boleia


TAMANHO DAS ONDAS
3m sets maiores
CONDIÇÕES GERAIS
Vento em side-shore fraco, as ondas estão com a formação ordenada e com boas condições para o surf, para a praia estão razoáveis condições, para o windsurf estão fracas condições.
No espaço de uma semana, a vida toma conta da Existencia.
(1) Acelerador atómico para encontrar a Particula de Deus
(2) Cientistas de Harvard, descobrem o Segredo da Vida, i.e. a criação de células a partir de matéria inerte.
Comemore-se com Cronenberg!
Só como aperitivo, não foi este que me lembrei, mas, a Mosca, vai passar a ópera!

Para quem ainda tinha dúvidas

http://www.overdadeirotony.blogspot.com/
"...a sua experiência e a admiração pela sua história de coragem e honra eram as suas mais-valias..." do Henrique.
Só num país belicista e marcado pela cultura da guerra e da agressão, isto é valorizado. À velha europa, bastou-lhes quem, um De Gaulle... e foi porque saiu vitorioso da II grande guerra.

Vão para o diabo yankees de merda





O imperialista médio americano, que nasce a odiar tudo o que é não alinhado, dos comunas aos árabes, como um pittbull raivoso, vira as costas ao homem novo Obama, e vai vibrar cada vez mais com o discurso de Bush, McCain e Pallin. Isto é extraordinário. Obama é um erro de casting e para ele chegar lá, terão de passar mais 100 anos sobre o sonho de King.

Lendo os outros


Pitbull with lipstick

Há seis meses atrás, numa reunião de republicanos conservadores e libertários, em Atlanta, dificilmente se encontrava um que acreditasse na possibilidade de vitória nas presidenciais. Entre o Iraque, a economia e o descalabro orçamental de Bush, ninguém via saída. Hoje a situação é bem diferente. John McCain é reconhecido como alguém que pensa e age de acordo com as suas convicções, capaz de contradizer o seu partido e de fazer acordos com o outro lado da barricada com enorme facilidade. Nestas eleições, isso, a sua experiência e a admiração pela sua história de coragem e honra eram as suas mais-valias. Um dos seus problemas, no entanto, é que os mais conservadores entre os republicanos não se reviam nele e não acreditavam na sua possibilidade de vencer. Razões suficientes para lhes faltar entusiasmo e vontade de ir votar. E são necessários votos para ganhar eleições. Ao escolher Sarah Palin Mc Cain resolve esse problema. Ela não muda a percepção que a América tem dele, mas consegue entusiasmar os mais conservadores, sem embaraçar a candidatura. Por muito que a esquerda tente, a imagem de uma Sarah Palin cavernícola e de crucifixo na mão não colhe. Palin foi escolhida por ser e representar as mulheres que trabalham, são mães de família, enfrentam combates e são conservadoras. Há muitas. Pitbulls com batôn. Simples.


Henrique Burnay no Meia Hora
(via 31 da Armada)
Só lamentei ter saído de casa tão tarde, Carcavelos hoje é dos melhores sitios para se estar no Planeta, vento off-shore e ondas de metro e meio. Perfeitas. Tudo perfeito. As correntes malandras de Setembro, parece que passaram e até o mar está frio e mais limpo. O Tejo, o rio que alguns querem elevar a património mundial. Querem o quê? E que tal se tratassem dele primeiro? As correntes em Setembro alteram tudo, só quem anda no mar sabe o lixo que por ali cai.
Aqui mesmo ao lado, onde trabalho, há uma terreola, onde as ruas têm nomes de Pompeu e de Sertório.
Pela madrugada, um senhor exaltado, dizia na rádio que, os agressores domésticos, são quem querem manter o casamento. Óbvio. Para alguns.
Uma das primeiras aulas de Politica Económica e Financeira, em 96 na Católica, foi passada a dissecar, o tempo desde que, uma lei é pensada... até... até... entrar em vigor. Lembro-me muitíssimo bem dessa aula, porque causou riso, e uma fúria dissimulada do professor, quando referiu subliminarmente a questão, se a lei não passa na AR, são mais uns meses.

O Deco um dos melhores jogadores portugueses, capaz de exibições de rasgar sorrisos e encher-nos de adrenalina, passes que voam o campo, milimetricamente desenhados, fazendo curvas perfeitas no ar. Alguém ainda irá entreter-se com este jogo de geometria, desenhando as cúpulas que Deco pinta sobre o relvado. Deco é o melhor, mas nunca foi do Sporting, a 1ª pag hoje é um desastre. Como for, também acredito, dia 16 de Setembro saímos de Barça em grande euforia.

E porque é sexta-feira

Maionese
(Gil)
"Maionese, ele me bate feito maionese!"

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Foi há sete anos

Ideias Impulsionadas pelo Acelerador Atómico

Vou pedir ao HT, que me envie uns 3 ou 4, daqueles croissants que se fazem do Porto a Braga!
O Ricardo Araújo Pereira, escreve com alguma piada, a MFL tem perfil para vice do PP.
São Carlos anunciou a temporada 08/09, com um ligeiro atraso (desde Maio que se conhece a temporada do Liceo de Barcelona p.e.).

Alguma esperança para o Fausto de Gounod em Janeiro e para o Homem Novo, o Siegfried do tenor Stefan Vinke no final deste mês. Ver a Elisabete Matos aguentar-se à bronca como Salomé e um Don Giovanni de Nicolau Livieri. Se considerarmos que uma produção de Mozart, exige no minímo, que todos os personagens sejam interpretados por seres excepcionais, vai ser uma desgraça, mesmo assim, vaissssse.

Florez no Royal Opera House em Rossini (Matilde di Shabran), num plot digno de Shakeapeare. Misógino e Preconceituoso, no fim ganha a femme, enquanto ele se reduz ao poder dela, será do melhor do ano! De caminho apanha-se boleia dos Tv on the radio. Disparate? NoP. MegaSons.