terça-feira, 8 de agosto de 2017

Comoção existencial




[Secção tempo de paragem] Entre luz e sombra, o silêncio faz-me encontrar a importância de Deus no nada. Sim, a oração de agradecimento ou petição. Mas, mais profundamente, o silêncio que desperta o que Paul Tillich, teólogo, descreveu como "comoção existencial": sou podendo não ter sido. A gratuidade dos pés assentes na terra recordando o sagrado de tanto na minha vida. Pode-se descansar, e bem, de tudo. Mas que não se descanse de quem se é e, para quem n'Ele acredita, de Deus. Ele deseja profundamente o nosso crescer em terra sagrada que somos.